Síndrome do Impacto

Femoroacetabular Impingement (FAI)

Femoroacetabular impingement (FAI) is a condition where the bones of the hip are abnormally shaped. Because they do not fit together perfectly, the hip bones rub against each other and cause damage to the joint.

Anatomy

The hip is a ball-and-socket joint. The socket is formed by the acetabulum, which is part of the large pelvis bone. The ball is the femoral head, which is the upper end of the femur (thighbone).

A slippery tissue called articular cartilage covers the surface of the ball and the socket. It creates a smooth, low friction surface that helps the bones glide easily across each other.

The acetabulum is ringed by strong fibrocartilage called the labrum. The labrum forms a gasket around the socket, creating a tight seal and helping to provide stability to the joint.

In a healthy hip, the femoral head fits perfectly into the acetabulum.
Top of page
Description

In FAI, bone spurs develop around the femoral head and/or along the acetabulum. The bone overgrowth causes the hip bones to hit against each other, rather than to move smoothly. Over time, this can result in the tearing of the labrum and breakdown of articular cartilage (osteoarthritis).

Types of FAI

There are three types of FAI: pincer, cam, and combined impingement.

Pincer. This type of impingement occurs because extra bone extends out over the normal rim of the acetabulum. The labrum can be crushed under the prominent rim of the acetabulum.

Cam. In cam impingement the femoral head is not round and cannot rotate smoothly inside the acetabulum. A bump forms on the edge of the femoral head that grinds the cartilage inside the acetabulum.

Combined. Combined impingement just means that both the pincer and cam types are present.

(Left) Pincer impingement. (Right) Cam impingement.

How FAI Progresses

It is not known how many people may have FAI. Some people may live long, active lives with FAI and never have problems. When symptoms develop, however, it usually indicates that there is damage to the cartilage or labrum and the disease is likely to progress. Symptoms may include pain, stiffness, and limping.

Top of page
Cause

FAI occurs because the hip bones do not form normally during the childhood growing years. It is the deformity of a cam bone spur, pincer bone spur, or both, that leads to joint damage and pain. When the hip bones are shaped abnormally, there is little that can be done to prevent FAI.

Because athletically active people may work the hip joint more vigorously, they may begin to experience pain earlier than those who are less active. However, exercise does not cause FAI.

Top of page
Symptoms

People with FAI usually have pain in the groin area, although the pain sometimes may be more toward the outside of the hip. Sharp stabbing pain may occur with turning, twisting, and squatting, but sometimes, it is just a dull ache.

Top of page
Home Remedies

When symptoms first occur, it is helpful to try and identify an activity or something you may have done that could have caused the pain. Sometimes, you can just back off on your activities, let your hip rest, and see if the pain will settle down. Over-the-counter anti-inflammatory medicines (ibuprofen, naproxen) may help.

If your symptoms persist, you will need to see a doctor to determine the exact cause of your pain and provide treatment options. The longer painful symptoms go untreated, the more damage FAI can cause in the hip.

Top of page
Doctor Examination

During your first appointment, your doctor will discuss your general health and your hip symptoms. He or she will also examine your hip.

Impingement Test

As part of the physical examination, your doctor will likely conduct the impingement test. For this test, your doctor will bring your knee up towards your chest and then rotate it inward towards your opposite shoulder. If this recreates your hip pain, the test result is positive for impingement.

Imaging Tests

Your doctor may order imaging tests to help determine whether you have FAI.

X-rays. These provide good images of bone, and will show whether your hip has abnormally shaped bones of FAI. X-rays can also show signs of arthritis.

Computed tomography (CT) scans. More detailed than a plain x-ray, CT scans help your doctor see the exact abnormal shape of your hip.

Magnetic resonance imaging (MRI) scans. These studies can create better images of soft tissue. They will help your doctor find damage to the labrum and articular cartilage. Injecting dye into the joint during the MRI may make the damage show up more clearly. Your doctor may also inject a numbing medicine into the joint as a diagnostic test. If the numbing medicine provides temporary pain relief, it confirms that FAI is the problem.

Top of page
Treatment

Nonsurgical Treatment

Activity changes. Your doctor may first recommend simply changing your daily routine and avoiding activities that cause symptoms.

Non-steroidal anti-inflammatory medications. Drugs like ibuprofen can be provided in a prescription-strength form to help reduce pain and inflammation.

Physical therapy. Specific exercises can improve the range of motion in your hip and strengthen the muscles that support the joint. This can relieve some stress on the injured labrum or cartilage.

Surgical Treatment

If tests show joint damage caused by FAI and your pain is not relieved by nonsurgical treatment, your doctor may recommend surgery.

Many FAI problems can be treated with arthroscopic surgery. Arthroscopic procedures are done with small incisions and thin instruments. The surgeon uses a small camera, called an arthroscope, to view inside the hip.

During arthroscopy, your doctor can repair or clean out any damage to the labrum and articular cartilage. He or she can correct the FAI by trimming the bony rim of the acetabulum and also shaving down the bump on the femoral head. Some severe cases may require an open operation with a larger incision to accomplish this.

(Left) During arthroscopy, your surgeon inserts an arthroscope through a small incision about the size of a buttonhole. (Right) Other instruments are inserted through separate incisions to treat the problem.
Top of page
Long-Term Outcomes

Surgery can successfully reduce symptoms caused by impingement. Correcting the impingement can prevent future damage to the hip joint. However, not all of the damage can be completely fixed by surgery, especially if treatment has been put off and the damage is severe. It is possible that more problems may develop in the future.

While there is a small chance that surgery might not help, it is currently the best way to treat painful FAI.

Top of page
Future Developments

As the results of surgery improve, doctors will probably recommend earlier surgery for FAI. Surgical techniques continue to advance and in the future, computers may be used to help guide the surgeon in correcting and reshaping the hip.

 

Síndrome do Impacto Femuro-acetabular.

A articulação do quadril é formada pelo contato da cabeça do fêmur, que possui forma esférica, com o acetábulo (concavidade da bacia). Outras estruturas são importantes no quadril e completam o encaixe entre cabeça do fêmur e acetábulo, dentre elas, o labrum acetabular.

O labrum é uma fibrocartilagem semelhante ao menisco do joelho, localizado ao redor do acetábulo e apresenta funções importantes, como:
1. Ampliar a área de contato da cabeça do fêmur com o acetábulo.
2. Promover o fechamento da articulação do quadril.
3. Distribuir o líquido sinovial, lubrificando a articulação.
4. Amortecer os impactos.
5. Estabilizar o quadril em combinação com outros ligamentos.

O movimento do quadril é amplo e definido pelo perfeito encaixe entre os dois ossos, com suas superfícies lisas e lubrificadas. Portanto, qualquer alteração na forma dos ossos ou nas condições da cartilagem que os reveste poderá gerar lesões adicionais ou até mesmo o desenvolvimento de uma artrose (degeneração da articulação).

O conceito de sobrecarga esportiva também pode ser aplicado aos quadris, embora a predisposição anatômica de cada pessoa tenha importância na origem das lesões. A sobrecarga pode ser proveniente de anos de treinamento irregular em modalidades de longa duração ou naquelas em que ocorram movimentos bruscos e vigorosos de rotação e compressão dos quadris (tênis, futebol, golfe).

O impacto repetido da articulação do quadril pode provocar a lesão do labrum e da cartilagem articular, e até evoluir para a degeneração.

Algumas alterações da anatomia do quadril de origem genética podem evoluir para a lesão do labrum: a posição do acetábulo virado para trás (retroversão), mais comum em mulheres, ou a conformação da cabeça do fêmur mais ovalada, em homens.

Quais são os sintomas e como podemos diagnosticar?

O quadro clínico comum é a dor na região inguinal (virilha) com ou sem irradiação para a parte interna da coxa após o esforço físico. É freqüente atribuir a dor a uma causa muscular ou a uma tendinopatia (inflamação ou degeneração de tendão).

A história clínica e exame físico minucioso evidenciam dor em algumas manobras, simulando o que acontece de real na articulação durante o movimento no esporte.

As radiografias são importantes na avaliação complementar, assim como os exames de ressonância magnética.

Quais as formas de tratamento?

As lesões agudas podem ser tratadas de forma conservadora com a utilização de antiinflamatórios e analgésicos sob prescrição médica, interrupção dos movimentos que contenham impacto durante 1 a 6 meses e fisioterapia. A persistência dos sintomas exige mudança de conduta e reavaliação dos resultados e objetivos.

O tratamento cirúrgico reserva-se aos pacientes com dor persistente e que pretendem retornar às atividades físicas ou profissionais. A artroscopia é uma técnica cirúrgica que possibilita ampla visão da articulação e permite a remoção de lesões e deformidades geradas pelo impacto.

Nos casos graves nos quais exista degeneração avançada da articulação, são menores os benefícios da artroscopia, levando o médico a considerar outras técnicas para tratamento da articulação lesionada.

_______________________________________________________________________________________

Impacto fêmoro-acetabular (IFA)

O Impacto fêmoro-acetabular (FAI) é uma condição onde os ossos do quadril possuem uma alteração de seu formato. Isso leva a um encaixe imperfeito dos ossos, ocorrendo um atrito demasiado entre eles e essa alteração pode causar danos irreverssíveis à articulação.

Anatomia

O quadril é uma articulação formada por um componente esférico e um encaixe correspondente em forma de soquete. O soquete (ou encaixe) é formado pelo acetábulo, que é parte de um osso maior chamado de pélve. A esfera é a cabeça femoral, que é a extremidade superior do fêmur. Um tecido escorregadio chamado cartilagem articular cobre a superfície da bola e seu encaixe correspondente. Isto cria uma superfície muito lisa, de baixa fricção que ajuda os ossos a deslizarem facilmente um com o outro. O acetábulo é cercado por uma forte fibrocartilagem chamada de labrum ou lábio acetabular. Essa estrutura tem concistência semelhante ao menisco do joelho, muitos chamam de “o menisco do quadril”, apesar de sua função ser diferente. O labrum forma uma vedação em torno do acetábulo, criando uma perfeita vedação e ajudando a dar estabilidade à articulação. A presença do labrum aumenta em 30% a cavidade acetabular. Em um quadril saudável, a cabeça do fêmur se encaixa perfeitamente no acetábulo.

Descrição

No impacto femoroacetabular, projeções ósseas se desenvolvem em torno da cabeça femoral e/ou ao longo do acetábulo. O sobrecrescimento destes ossos faz com que ocorra o choque precoce do fêmur contra o acetábulo, ao invés de uma movimento suave. Ao longo do tempo, isto pode resultar na ruptura da labrum e degeneração da cartilagem articular (osteoartrose).

Tipos de FAI

Existem três tipos de impacto femoroacetabular: tipo Cam (ou Came) tipo pinça (ou torquês) e do impacto combinado (misto).

Cam

Neste tipo de IFA a cabeça femoral não é esférica e não consegue movimentar-se suavemente na cavidade acetabular. Uma proeminência ossea na cabeça femoral ou até mesmo a falta do assinturamento normal nessa região, causa um impacto na borda acetabular e com isso “tritura” a cartilagem no interior do acetábulo.

Pinça

Este tipo de impacto ocorre devido ao excesso de osso na borda acetabular. O labrum pode ser esmagado pelo folo femural sob a borda proeminente do acetábulo em movimentos de flexão e rotação do quadril.

Combinado

Impacto combinado significa apenas que tanto a pinça e o came estão presentes.

 
 
 
 
 
 (Esquerda) Impacto em torquês. (Direito) Impacto de Cam.
 
 
 
 
 
 
 
 

Progressão

Não se sabe quantas pessoas podem ter IFA. Algumas pessoas podem conviver com IFA e nunca ter problemas. No entanto, quando os sintomas se desenvolvem, eles geralmente indicam que há dano à cartilagem ou labrum e a doença é propensa ao progresso. Os sintomas podem incluir dor, desconforto, rigidez e claudicação.

Causas

O IFA ocorre porque os ossos do quadril não formaram-se normalmente durante a fase de crescimento na infância. Quando os ossos do quadril são formados anormalmente, não há muito que pode ser feito para evitar o impacto femoroacetabular. Uma das teorias sobre o surgimento do IFA, são possíveis alterações na placa de crescimento do quadril em desenvolvimento. Essas alterações da forma e ritmo de crescimento fazem o formato do quadril ser diferente do normal. As pessoas mais ativas usam sua articulação do quadril com mais vigor e podem começar a sentir dor mais cedo do que aqueles que são menos ativas. Contudo, o exercício, na vida adulta, não causa IFA.

Os sintomas

Pessoas com FAI geralmente têm dor na região da virilha, embora a dor às vezes possa ser mais para a parte externa do quadril. A dor na virilha muitas vezes é associada com dores musculares ou tendinosas, mas é muito indicativa de problemas do quadril. Uma dor aguda pode ocorrer girando o quadril ou agachando-se, mas as vezes, é apenas uma dor tipo desconforto.

Medicações

Quando os primeiros sintomas ocorrem, é útil tentar identificar uma atividade ou algo que você pode ter feito que poderia ter causado a dor. Às vezes, você pode apenas se afastar de suas atividades, diminuir atividades que envovam o quadril e ver se a dor vai diminuir. Alguns medicamentos anti-inflamatórios podem ajudar, mas não devem ser usados sem receita médica, pois alguns efeitos colaterais podem ser graves. Se os sintomas persistirem, você precisa ver um médico para determinar a causa exata da sua dor e proporcionar opções de tratamento. A presença de sintomas mais dolorosos sem tratamento podem significar mais danos na articulação do quadril.

Exame médico

Durante sua primeira consulta, seu médico irá discutir sua saúde geral e sintomas do quadril. Ele também irá examinar o seu quadril.
Manobras de exame físico: como parte do exame físico, seu médico provavelmente irá realizar o teste do impacto. Para este teste, seu médico vai trazer o seu joelho para cima em direção ao seu peito e, em seguida, girá-lo para dentro em direção ao seu ombro oposto. Se este teste reproduz sua dor no quadril, o resultado do teste é positivo para o impacto femoroacetabular. Muitos pacientes podem ter o teste negativo e possuir o imapacto femoroacetabular, às vezes é necessário mais atividades para gerar a dor.

Os exames de imagem

O médico pode solicitar exames de imagem para ajudar a determinar se você tem IFA.
Raios X – estes fornecem boas imagens do osso e irão mostrar se o seu quadril tem ossos de formato normal ou em forma do IFA. Os exames de raios X também podem mostrar sinais de artrose e outras anormalidades.
Tomografia computadorizada (TC) – a TC são mais detalhadas do que um simples raio x e podem ajudar o médico a ver a forma exata do quadril anormal. A TC é um ótimo exame para o planejamento do tratamento cirurgico.
Ressonância Nuclear Magnética (RNM) – a RNM é excelente para demonstrar os tecidos moles, que são: cartilagem, ligamentos, músculos e tendões. Eles irão ajudar o médico a encontrar os danos da cartilagem articular e do labrum. Infelizmente, mesmo a RNM sendo o melhor exame disponível, algumas lesões de labrum e muitas de cartilagem podem passar desapercebidas. Principalmente as lesõe pequenas. A injeção de liquido de contraste na articulação para realizar a RNM pode melhorar a eficiência do exame, mas é realizado em casos selecionados.
Teste Anestésico – em algumas situações é difícil ter certeza se os sintomas são originados da articulação do quadril, nesses casos pode se fazer um teste diagnóstico com anestésico. O seu médico pode também injetar um medicamento anestésico dentro da articulação do quadril. Se o medicamento proporcionar um alívio temporário da dor, confirma que os sintomas tem origem intra articular.

Tratamentos

Tratamentos não-cirúrgicos

Mudanças de atividade e estilo de vida.  Como primeira medida o seu médico pode simplesmente recomendar uma mudança de sua rotina diária, evitando atividades que causam sintomas. Essa pode não ser uma opção viável para pacientes jovens e ativos ou quando a dor ocorre em situações muito simples e comuns do dia a dia.

Anti-inflamatórios

Medicamentos anti-inflamatórios podem ser prescritos para reduzir a dor e inflamação temporariamente, permitindo mair conformto para o paciente realizar os exames de investigação diagnóstica.

Fisioterapia

Alguns Exercícios específicos podem melhorar um pouco a amplitude de movimento em seu quadril e fortalecer os músculos que suportam a articulação. Isso pode aliviar algum estresse no labrum lesionado ou cartilagem. Mas lembre-se que em um quadril com formato alterado essa é uma solução apenas temporária. Na presença do IFA, forçar um alongamento de quadril de forma demasiada irá certamente causar mais dano a articulação, pois existe uma incongruência ossea que impede o movimento completo. Os músculos e tendões doloridos e encurtados são apenas uma consequência do problema de base.

Tratamento Cirúrgico

Muitos problemas causados pelo IFA podem ser tratados com cirurgia video artroscópica. Procedimentos vídeo artroscópicos são realizados com pequenas incisões e instrumentos delicados. O cirurgião utiliza uma micro câmera, chamada vídeo artroscópio, para ver dentro do quadril. Durante a artroscopia, o seu médico pode reparar ou limpar danos da cartilagem articular e do labrum. Ele pode corrigir o IFA aparando a borda ossea do acetábulo e também esculpindo a cabeça femoral para que essa volte a ter o formato esférico normal. Alguns casos mais graves podem requerer uma cirurgia aberta com uma incisão maior para realizar a correção completa e mais precisa.

  
(Esquerda) Durante a artroscopia, seus cirurgião insere um artroscópio através de uma pequena incisão. (Direito) Outros instrumentos são inseridos através de incisões separadas para tratar o problema.
 
 
 
 

Resultados a longo prazo

A cirurgia pode conseguir reduzir os sintomas causados pelo impacto femoroacetabular. Corrigindo o impacto, pode evitar danos futuros à articulação do quadril. No entanto, nem todos os danos podem ser completamente corrigidos através de cirurgia, especialmente se o tratamento foi muito adiado e dano for grave. É possível que mais problemas possam desenvolver-se no futuro. Existe uma pequena chance de que a cirurgia possa não ajudar, porém, atualmente, é a melhor maneira de tratar o IFA doloroso.

Desenvolvimentos futuros

Na medida que os resultados dos tratamentos para o IFA estão melhorando, as indicações cirúrgicas serão cada vez mais precoces. As técnicas cirúrgicas continuam a avançar e no futuro, os computadores podem ser utilizados para ajudar a guiar o cirurgião na correção e remodelação do quadril. Os tratamentos biológicos estão avançando muito também, em alguns casos são utilizados fatores de crescimento como plasma rico em plaquetas, plasma rico em fibrina e células tronco.

Invasão femoroacetabular (FAI)

Impacto fêmoro-acetabular (FAI) é uma condição em que os ossos do quadril são anormalmente shaped. Porque eles não se encaixam perfeitamente, os ossos do quadril esfregar uns contra os outros e causar danos ao conjunto.

Anatomia

O quadril é uma articulação ball-and-socket. O encaixe é formado pelo acetábulo, que faz parte da grande osso da pelve. A bola é a cabeça do fémur, que é a extremidade superior do fémur (fémur).

Um tecido escorregadio chamado de cartilagem articular cobre a superfície da bola e do soquete.Ela cria uma superfície de atrito liso, de baixo, que ajuda os ossos deslizar facilmente entre si.

O acetábulo é cercado por um forte fibrocartilage chamado de labrum. O lábio forma uma vedação à volta da tomada, a criação de uma vedação estanque e ajudando a proporcionar estabilidade ao conjunto.

Em um quadril saudável, a cabeça do fêmur se encaixa perfeitamente no acetábulo.
Início da página
Descrição

Na FAI, osteófitos desenvolvem em torno da cabeça do fêmur e / ou ao longo do acetábulo. O crescimento excessivo do osso faz com que os ossos do quadril para bater uns contra os outros, ao invés de mover-se suavemente. Com o tempo, isso pode resultar no rompimento do labrum e degradação da cartilagem articular (artrose).

Tipos de FAI

Existem três tipos de FAI: pinça, cam, e impacto combinado.

Pinça. Este tipo de choque ocorre porque o osso adicional se estende sobre a borda normal do acetábulo. O labrum pode ser esmagado sob a borda proeminente do acetábulo.

Cam. In impacto cam a cabeça femoral não é redonda e não pode rodar sem problemas dentro do acetábulo. Uma colisão se forma sobre a extremidade da cabeça do fémur, que tritura o cartilagem no interior do acetábulo.

Combinado. Impacto combinado significa apenas que tanto a pinça e os tipos de cames estão presentes.

(Esquerda) impacto torquês. (Direito) Cam impacto.

Como FAI Progressos

Não se sabe quantas pessoas podem ter FAI. Algumas pessoas podem viver uma vida longa, ativa, com FAI e nunca ter problemas. Quando do aparecimento dos sintomas, no entanto, geralmente indica que existe lesão da cartilagem ou do lábio e a doença é susceptível de evoluir. Os sintomas podem incluir dor, rigidez e claudicação.

Início da página
Causar

FAI ocorre porque os ossos do quadril não se formam normalmente durante os anos de crescimento na infância. É a deformidade de um esporão came osso, pinça esporão, ou ambos, que conduz a dano e dor nas articulações. Quando os ossos do quadril são moldadas de forma anormal, não há muito que pode ser feito para evitar a FAI.

Porque as pessoas atleticamente ativos podem trabalhar a articulação do quadril com mais vigor, eles podem começar a sentir dor mais cedo do que aqueles que são menos ativas. Contudo, o exercício não causa FAI.

Início da página
Sintomas

Pessoas com FAI geralmente têm dor na área da virilha, embora a dor pode ser, por vezes, mais para o lado de fora da anca. Dor aguda acentuada pode ocorrer com o giro, torcendo, e de cócoras, mas, às vezes, é apenas uma dor surda.

Início da página
Home remédios

Quando os primeiros sintomas ocorrem, é útil para tentar identificar uma atividade ou algo que você pode ter feito que pode ter causado a dor. Às vezes, você pode simplesmente se afastar de suas atividades, deixe o seu descanso quadril, e ver se a dor vai sossegar. Medicamentos anti-inflamatórios Over-the-counter (ibuprofeno, naproxeno) podem ajudar.

Se os sintomas persistirem, você terá que consultar um médico para determinar a causa exata de sua dor e oferecer opções de tratamento. Os sintomas mais dolorosos não são tratadas, o dano mais FAI pode causar no quadril.

Início da página
Exame médico

Durante a sua primeira consulta, o médico irá discutir o seu seus sintomas quadril saúde geral e.Ele ou ela também irá analisar o seu quadril.

Teste de Invasão

Como parte do exame físico, o médico irá provavelmente realizar o teste do impacto. Para este teste, o médico vai trazer o seu joelho em direção ao peito e, em seguida, gire-o para dentro, em direção ao seu ombro oposto. Se este recria sua dor no quadril, o resultado do teste é positivo para a invasão.

Os exames de imagem

Seu médico pode solicitar exames de imagem para ajudar a determinar se você tem FAI.

Raios-X. Estes fornecem boas imagens de ossos, e vai mostrar se o seu quadril tem anormalmente ossos em forma de FAI. Os raios X também podem mostrar sinais de artrite.

A tomografia computadorizada (TC). Mais detalhados do que um simples raio-x, tomografia computadorizada ajudar o médico a ver a forma anormal exata de seu quadril.

Ressonância magnética (MRI) scans magnéticos. Estes estudos podem criar melhores imagens do tecido macio. Eles vão ajudar o médico a encontrar danos à cartilagem articular e labrum. A injeção de tinta na articulação durante a IRM pode fazer os danos aparecem mais claramente. O seu médico pode também injetar um medicamento anestésico na articulação como um teste de diagnóstico. Se o medicamento entorpecente fornece alívio temporário da dor, ele confirma que a FAI é o problema.

Início da página
Tratamento

Tratamento não-cirúrgico

Mudanças de atividade. Seu médico pode recomendar primeiro simplesmente mudando sua rotina diária e evitando atividades que causam sintomas.

Medicamentos anti-inflamatórios não esteróides. Drogas como o ibuprofeno pode ser fornecido em forma de prescrição-força para ajudar a reduzir a dor e inflamação.

Fisioterapia. Exercícios específicos podem melhorar a amplitude de movimento em seu quadril e fortalecer os músculos que sustentam a articulação. Isso pode aliviar um pouco a pressão sobre o labrum feridos ou cartilagem.

Tratamento Cirúrgico

Se os testes mostram lesões articulares causadas pela FAI e sua dor não é aliviada pelo tratamento não cirúrgico, o médico pode recomendar a cirurgia.

Muitos problemas FAI pode ser tratada com cirurgia artroscópica. Artroscopias são feitos com pequenas incisões e instrumentos finos. O cirurgião utiliza uma pequena câmera, chamado artroscópio, para ver dentro do quadril.

Durante a artroscopia, o médico pode reparar ou limpar qualquer dano à cartilagem articular e labrum. Ele ou ela pode corrigir a FAI aparando a borda óssea do acetábulo e também de barbear para baixo o galo na cabeça femoral. Alguns casos graves podem requerer uma operação de abertura com uma incisão maior para alcançar este objetivo.

(À esquerda) durante a artroscopia, o cirurgião insere um artroscópio através de uma pequena incisão do tamanho de um botão. (Direita) Outros instrumentos são inseridos através de incisões separadas para tratar o problema.
Início da página
Resultados a longo prazo

A cirurgia pode conseguir reduzir os sintomas causados ​​pelo impacto. Corrigir o impacto pode evitar danos futuros à articulação do quadril. No entanto, nem todos os danos podem ser completamente fixado por cirurgia, especialmente se o tratamento tiver sido desligado e o dano é grave. É possível que mais problemas podem desenvolver no futuro.

Enquanto não há uma pequena chance de que a cirurgia pode não ajudar, é atualmente a melhor maneira de tratar situações dolorosas FAI.

Início da página
Desenvolvimentos futuros

Como os resultados da cirurgia melhorar, os médicos provavelmente irá recomendar a cirurgia mais cedo para FAI. As técnicas cirúrgicas continuam a avançar e, no futuro, os computadores podem ser usadas para ajudar a orientar o cirurgião na correcção e reformulação da anca.

 

Leave a Reply